Remédio para Malária pode ser Cura para o Coronavírus (COVID-19)

A cloroquina um remédio para malária pode ser a cura para o novo coronavírus, segundo estudos feitos na França.

Remédio para Malária pode ser Cura para o Coronavírus (COVID-19)

Há esperança de cura para o coronavírus

Atualmente, as vacinas e os remédios para o novo coronavírus (COVID-19) estão sendo investigadas em todo o mundo, atualmente foi descoberto que um remédio para malária pode funcionar não apenas para a cura mas também para prevenir o coronavírus COVID-19.

Remédio para malária é estudado para curar o coronavírus

A hidroxicloroquina, um remédio para malária e para doenças reumáticas , foi divulgado recentemente como cura para o coronavírus. Os estudos começaram na França e os resultados  foram divulgados para os cientistas, que criticaram a falta de resultados. No entanto o Dr. Didier apresentou resultados positivos em um estudo não randomizado e aberto em 24 pacientes.

No entanto, os pesquisadores ainda precisam realizar ensaios clínicos randomizados em humanos antes que as vacinas e outros remédios fiquem disponíveis para a população. Isso pode levar vários meses ou anos.

Inicialmente, os estudos com resultados positivos foram feitos em tubos de ensaio (in vitro), por uma equipe chinesa e publicados em 09 de março.  No entanto, os dados desses estudos foram considerados insuficientes pela comunidade de infectologistas para recomendar a hidroxicloroquina como remédio para cura do coronavírus.

De fato, a hidroxicloroquina não estava entre os quatro remédios estudados na Europa que foram usados em 3.200 pacientes hospitalizados em estado grave, dentre os quais 800 são franceses. A cloroquina foi descartada por conta do risco de interações com outros medicamentos em pacientes que têm outras doenças, e dos possíveis efeitos colaterais nos pacientes em tratamento intensivo.

Pacientes tem resultados positivos

Mas uma nova esperança veio da França, na cidade de Marselha um  médico deu inicio doa tratamento com o remédio para malária e teve resultados positivos.

Eles observaram que os casos de coronavírus eram poucos na Africa em relação aos casos fatais da Europa. Isso porque os africanos usam constantemente a hidroxicloroquina para tratamento da malária.

Segundo o site do registro europeu de ensaios clínicos, o estudo feito em Marselha – França – com a hidroxicloroquina,  foi aceito em 05 de março pela Agence nationale de sécurité du médicament. O estudo foi feito com 25 pacientes com Covid-19 comprovada laboratorialmente: cinco entre 12 e 17 anos de idade, 10 entre 18 e 64 anos e 10 com 65 anos ou mais.

Até o momento, os dados dos estudos não foram publicados nas revistas médicas, assim precisamos de cautela. Mas o estudo  mostra forte reação do coronavírus com o uso da hidroxicloroquina.

Advertisement

Após seis dias de uso do remédio, o percentual de pacientes contaminados com o COVID-19, que tomaram hidroxicloroquina passou para 25%, contra 90% dos que não tiveram tratamento.

Além disso, os pacientes que tomaram uma mistura de hidroxicloroquina com azitromicina, tiveram boa resposta aos remédios. Segundo o Prof. Didier.

No sexto dia de tratamento, com as duas drogas, o percentual de casos positivos caiu para apenas 5%.

A azitromicina foi acrescentada ao tratamento porque atua contra as doenças pulmonares causadas por bactérias. 

“Todas as pessoas que faleceram do coronavírus (Covid-19) ainda eram portadoras do vírus. Não ter mais o vírus altera o quadro clínico”, disse o Prof. Didier.

A hidroxicloroquina está sendo testada em outros países

Atualmente a hidroxicloroquina está sendo testada em vários países, como a China e nos EUA, e que alguns médicos da França também estão tratando os pacientes com a droga após os resultados do Dr. Didier.


Estamos atualizando todas as informações sobre o coronavírus constatemente. Em breve termos novas informações.

Ensaios clínicos randomizados (ECR) são estudos em humanos divididos 2 grupos ou mais, nos quais um grupo toma o medicamento em teste e outro toma um placebo ( pilula de açúcar ). O ECR são experimentos quantitativos, comparativos e controlados, nos quais os pesquisadores estudam dois ou mais tratamentos em uma série de indivíduos que as recebem em ordem aleatória. O ECR é uma das ferramentas mais simples e poderosas da pesquisa clínica.

LEIA TAMBÉM: