Cerveja dá Barriga? Verdade ou Mentira

cerveja da barriga

Cerveja dá Barriga? Verdade ou Mentira?

Existe uma crença generalizada de que as bebidas alcoólicas e em particular a cerveja dá barriga,  levam ao ganho de peso, especialmente ao redor do abdômen.

No entanto, a evidência científica não é clara. As bebidas alcoólicas certamente contêm calorias, mas parece que o ganho de peso está principalmente associado a maiores níveis de ingestão.

O consumo moderado de álcool, particularmente nas mulheres, parece não estar associado ao aumento de peso.

Cerveja tem carboidrato?

Cerveja tem carboidrato
Cerveja tem carboidrato

Na cerveja, cerca de dois terços das calorias vêm do álcool e cerca de um terço dos carboidratos.

Ao queimar carboidratos, o organismo metaboliza 4 kcal por grama de carboidratos.

Em geral, os níveis de carboidratos na cerveja variam de 20 a 30 g por litro.

Uma cerveja contém aproximadamente a mesma quantidade de carboidratos por porção que um vinho branco doce, menos do que um licor, mas mais do que um vinho branco seco.

Parece que o fato da cerveja dá barriga e o ganho de peso está associado a pessoas que bebem muita cerveja e outras bebidas alcoólicas. Dessa forma, não com consumo moderado de álcool, particularmente nas mulheres.

Álcool engorda?

Álcool engorda?
Álcool engorda?

A relação entre o peso corporal e o consumo de álcool é complexa. Pois, envolve não só a quantidade e o tipo de álcool consumido, mas também padrões de consumo como: gênero, tipo de bebida e estilo de vida. Portanto, podem desempenhar um papel importante.

A relação entre o consumo de álcool e o risco da síndrome metabólica parece ser inversa, com risco reduzido associado ao baixo consumo de álcool e maior risco de beber demais.

Em síntese, a obesidade é uma condição multifatorial e é difícil avaliar a influência independente da ingestão de álcool no risco de obesidade.

Calorias da cerveja

Calorias da cerveja
Calorias da cerveja

A Cerveja, como com quase todos os outros alimentos ou bebidas, contém calorias.

Na cerveja, cerca de dois terços das calorias provêm do álcool, um terço dos carboidratos e uma quantidade insignificante de proteína.

Embora essas proporções possam variar de acordo com a composição e força da cerveja e como é fabricada.

Calorias do álcool

O álcool é a fonte de energia mais rica na cerveja e tem um valor de energia de 7 kcal por grama.

A degradação do álcool no corpo tem precedência sobre a quebra de outros nutrientes, já que o corpo não consegue armazenar o álcool.

Assim sendo, o trata como uma substância nociva, embora pequenas quantidades de álcool, junto com as refeições, possam estimular o gasto de energia.

Tabela de calorias das bebidas alcoólicas

Aguardente 1/2 copo (100ml) 231
Batidas 1/2 copo (100ml) 251
Cerveja 1 copo (240ml) 101
Cerveja light Embalagem (360ml0 148
Champagne 1 taça 85
Chope 1 tulipa (150ml) 90
Cidra 1/2 copo (100ml) 50
Conhaque 1 dose (50ml) 125
Daiquiri 1/2 copo (100ml) 116
Gim 1 dose (30ml) 60
Kir (vinho c/ licor de cassis) 1 copo (240ml) 80
Licor de Jenipapo 1 cálice (20ml0 90
Licores 1 cálice (20ml) 69
Meia de seda 1 copo (240ml) 140
Ponche 1 copo (200ml) 100
Rum 1 copo de 50ml 110
Vermute doce 1 cálice (35ml) 50
Vermute seco 1 cálice (40ml) 40
Vinho branco doce 1 taça (110ml) 142
Vinho branco seco 1 taça (100ml) 85
Vinho de maçã 1 taça (100ml) 32
Vinho moscatel 1 taça (10ml) 137
Vinho rosè 1 taça (100ml) 74
Vinho tinto 1 taça (100ml) 65
Vodka 1 cálice (30ml) 72
Wisky 1 dose (100ml) 240

Cerveja faz mal?

Cerveja faz mal
Cerveja faz mal?

Efeitos do álcool no apetite, peso corporal e obesidade

Se você comer mais calorias do que você queima, você ganha peso.

A energia das bebidas alcoólicas é aditiva a outras fontes alimentares. No entanto, estudos sugerem que o consumo moderado de álcool previne a obesidade, particularmente nas mulheres.

Vários estudos investigaram a influência do consumo de álcool no apetite, peso corporal e obesidade.

Cerveja Engorda?

Cerveja engorda?
Cerveja engorda?

Uma breve revisão da literatura mostra claramente que a energia consumida como álcool é aditiva de outros alimentos. Assim, leva a um excessivo consumo de energia passiva.

O álcool consumido antes ou com as refeições tende a aumentar a ingestão dos alimentos. Provavelmente através do aumento dos efeitos gratificantes a curto prazo dos alimentos, e, possivelmente, porque o álcool aumenta o valor recompensador dos alimentos.

Cerveja dá barriga se beber demais

No geral, parece que a ingestão de álcool leve a moderada é menos provável que seja um fator de risco para a obesidade do que o consumo excessivo de álcool e compulsão, que tem sido mais consistentemente ligado à adiposidade.

Uma revisão sistemática mostra que o aumento de peso é observado com altos níveis de consumo de álcool.

Para consumo moderado, há uma diferença entre as bebidas. O vinho parece proteger contra ganho de peso, enquanto os destilados tendem a promover ganho de peso.

Mas com cerveja, não há evidências científicas suficientes. Especialmente para as mulheres.

Embora com base em uma revisão sistemática, parece que o consumo de até 500 ml por dia para os homens não engorda.

Outros fatores que influenciam o efeito do álcool no peso corporal

Cerveja dá barriga?
Cerveja dá barriga?

A relação entre peso corporal e consumo de álcool é complexa. Não só a quantidade e o tipo de álcool consumido são importantes, mas também padrões de consumo, gênero, tipo de bebida e estilos de vida contribuem.

Padrões de consumo

Os padrões de consumo de bebidas podem ser importantes em como o consumo de álcool influencia o peso corporal.

Um estudo de população mostra que, entre os homens que consumiram quantidades moderadas (<30 g) ou quantidades intermediárias de álcool (30-100 g) por semana, os que bebiam diariamente apresentaram menor índice de massa corporal (IMC) e circunferência da cintura em comparação com aqueles que bebiam 1-2 dias ou 3-6 dias por semana.

Os resultados foram semelhantes para o consumo de cerveja e vinho. Estudos anteriores mostraram resultados semelhantes.

Parece que aqueles que consomem a maior quantidade de álcool e menos freqüentemente (compulsivamente) tiveram excesso de peso. Mas o consumo freqüente ou moderado de álcool não está associado ao aumento de peso.

Sexo

As mulheres de meia idade que bebem moderadamente podem até se beneficiar, e menor risco relativo de aumento de peso.

Estudo populacional descobriu que as mulheres pós-menopausa, de peso normal que consomem bebidas alcoólicas moderadamente (media de 19,4 g por dia) têm risco reduzido de sobrepeso (35%) ou obesosidade (88%). Esses resultados corroboram com outros publicados anteriormente.

Advertisement

Tipo de bebida e estilo de vida

Embora alguns estudos sugerem que a cerveja engorda mais do que o vinho, outros estudos encontram associações semelhantes com ambos.

Estudos experimentais sugerem que o vinho estimula a ingestão de alimentos mais do que a cerveja.

As pessoas que preferem a cerveja podem diferir dos consumidores que não bebem ou do vinho em relação a múltiplos fatores de estilo de vida relacionados à obesidade.

Os bebedores de cerveja parecem ter hábitos alimentares mais pobres do que os bebedores de vinho e os bebedores de cerveja são mais freqüentemente fumantes.

A atividade física também pode ser um fator de confusão, e é difícil ajustar adequadamente para todos esses fatores.

Indivíduos que com freqüência bebem quantidades moderadas de álcool tem o estilo de vida mais saudável, em geral, que pode evitar que engorde

Em geral, a obesidade é uma condição multifatorial e é difícil avaliar verdadeiramente se a cerveja dá barriga mesmo.

Síndrome metabólica

A síndrome metabólica (SM) é um agrupamento de fatores de risco, incluindo:

  • Obesidade central (barriga),
  • Resistência à insulina,
  • Triglicerídeos sanguíneos elevados,
  • Colesterol de baixa lipoproteína de alta densidade (HDL) e
  • Hipertensão arterial,

Que, em conjunto, resultam em um risco cinco vezes maior de diabetes tipo 2 e 3 vezes mais de doença cardiovascular.

A síndrome metabólica também pode aumentar o risco de câncer.

Síndrome metabólica e consumo de álcool

Embora o nível de consumo benéfico de álcool varie, há uma relação inversa entre o consumo de álcool e SM.

Um deles mostrou que beber álcool (<40 g) por dia em homens e (<20 g) por dia em mulheres reduz a prevalência de SM em relação aos não bebedores em 16% e 25%, respectivamente.

O outro mostrou um risco menor de SM em 14% com consumo de álcool  leve (0,1-5,0 g por dia), e risco muito maior em 86% com consumo de mais de 35 g de álcool por dia.

Metabolismo do álcool

Cerveja dá barriga?
Cerveja dá barriga?

O álcool é absorvido principalmente pelo intestino delgado e é dividido no fígado.

Apenas 5% do álcool consumido deixa o corpo diretamente por excreção, respiração e transpiração, na urina, e suor.

As enzimas alcool-desidrogenase (ADH) e aldeído-desidrogenase (ALDH) no fígado quebram cerca de 7 g de álcool por hora.

ADH oxida o álcool em acetaldeído, um composto cancerígeno envolvido no aumento do risco de câncer.

O acetaldeído é capaz de se ligar e causar mutações no DNA, aumentando o risco de divisão celular incontrolável.

ALDH transforma acetaldeído no acetato composto não tóxico e é convertido em dióxido de carbono (CO2) ou Acetil CoA, um substrato para produção de energia no corpo

Ao consumir mais de 40 g de álcool por dia durante uma semana, outro mecanismo também é ativado para quebrar o álcool, o sistema de oxidação de etanol microsomal (MEOS).

A proteína CYP2E1 envolvida neste sistema está associada à ativação do oxigênio reativo cancerígeno.

Efeito do álcool na oxidação da gordura

O corpo humano não tem capacidade de armazenamento de álcool e visa eliminar álcool assim que entra no sistema.

Quando o álcool é consumido, a oxidação começa imediatamente, enquanto a oxidação de outros macronutrientes é suprimida.

Portanto, a ingestão de álcool diminui a oxidação da gordura durante o tempo em que o álcool ingerido está sendo metabolizado.

Cerveja dá barriga? Conclusão

Cerveja dá barriga? Conclusão
Cerveja dá barriga? Conclusão

Lembre-se: nem sempre a cerveja dá barriga

Há uma crença de que beber cerveja provoca uma barriga inchada, conhecido como “barriga de cerveja”.

No entanto, não há evidências científicas suficientes para confirmar que consumir cerveja a níveis moderados (<500 ml por dia) dá barriga.

Embora beber cerveja em níveis mais altos possa estar associado positivamente com uma barriga maior.

Se a cerveja não dá barriga, então, de onde vem a “barriga de cerveja”?

Pode ser, pelo menos em parte, associado aos hábitos alimentares e ao estilo de vida do consumidor de cerveja.

Quem bebe cerveja come menos alimentos saudáveis ​​do que as pessoas que preferem o vinho ou que não bebem.

Essas diferenças são explicadas por outros fatores sociodemográficos e de estilo de vida, como fumar e a falta de exercício físico.

Após o ajuste por esses fatores, a dieta de bebedores de cerveja e vinho não parece diferir tanto.

Assim, o estilo de vida e os fatores demográficos desempenham um papel importante na formação da “barriga de cerveja” do que o consumo só de cerveja.

4 comentários em “Cerveja dá Barriga? Verdade ou Mentira”

Os comentários estão desativados.